quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Assédio moral no ambiente de trabalho #2

Danos e doenças provocados pelo assédio moral.
O número de doenças e danos que o assédio moral provoca é vastíssimo.
Todos devemos estar atentos.
Existe quase sempre o clássico colega que, para agradar alguém e ganhar vantagem, pratica vários actos de assédio.
Em muito casos o assédio cria a doença. Ela não existia antes do assédio, e passa existir depois. Mas nos casos que já existe doença? E se o assediado tiver uma doença crónica? O assédio agrava a doença e provoca danos muito sérios à saúde.
No caso de trabalhadores doentes, a prática de assédio moral visa a força-los a pedir afastamento da empresa.
Problemas físicos:
Cansaço exagerado; stresse, má digestão; mudanças de apetite
Problemas de pressão arterial; tremores
Problemas de sono: insónia; pesadelos
Falta de concentração; distracção geral
Agravamento generalizado de doenças que já existem
Aumento de acidentes devido ao transtorno do assédio
Multiplicação de casos DORT devido ao ambiente stressante
A vítima é empurrada para alcoolismo e drogas
Problemas psíquicos.
Sentimento de culpa e pensamentos negativos
Risco ao praticar actos arriscados
Diminuição da libido, e arrefecimento da vida afectiva
Dificuldade de relacionamento em família: cônjuge, filhos, parentes
Insegurança psicológica generalizada
Esquecimento da situação de assédio
Dificuldades de fazer ou conservar amizades
Falta de vida social; isolamento
Baixa auto-estima e desvalorização das suas capacidades
Tristeza; medo geral e depressão, que pode chegar até ao suicídio
Variação de humor e choros constantes
Problemas emocionais: irritação constante; falta de confiança em si

7 comentários:

Sissi Guevara disse...

Muy cierto, yo tengo una jefa que por tener yo lupus trata de hacerme creer que soy una incapaz.

Assediados disse...

Parabéns!
Quanto mais pessoas estiverem informadas, menor a chance de serem pegas desprevenidas em armadilhas de chefes psicopatas e inescrupulosos.

Mª Del Carmen Moledo disse...

Excelente Post, Tony!

O assédio moral é algo terrível...
Infelizmente sucede mais freqüentemente do que pensamos... Devemos é ficar atentos, pois nós podemos não ser vítimas de assédio, mas alguém que está por perto sim pode estar a sofrer... E então não podemos ficar inactivos!
O ano passado S, uma amiga minha, começou a experimentar uma serie de dores e padecimentos que a levavam a estar de baixa durante longos períodos de tempo, algo que nunca acontecera... E cada vez que regressava à escola, ela piorava... E recaia... O seu caráter mudou, passou de ser uma mulher activa e jovial, que ria por tudo e fazia a vida dos demais mais fácil, a estar sempre triste, deprimida e doente...
Como era muito boa amiga minha ao final, à força de insistir consegui saber o motivo da sua situação: ela sentia-se assediada por uma pessoa da escola, que estava a fazer muito difícil a sua tarefa, pondo impedimentos para qualquer actividade que ela tinha que levar a cabo, aparecendo em qualquer lugar que ela estivesse, sem motivo aparente e desacreditando-a perante os alunos...
Então I, outra amiga e mais eu animamo-la a apresentar queixas diante da direção da escola... Mas ela não queria... Não se sentia capaz de enfrentar que outras pessoas conhecessem a situação pela que ela estava a passar, e ficava com sentimento de que, se calhar, era ela quem provocava aquelas reações...
Mas I, viu que a situação já não podia continuar assim e decidiu falar com o diretor do centro...
Este percebeu de seguida o que se passava, e todo cambiou para bem!!!
Por isso que ás vezes temos de ser os demais os que vejamos e denunciemos a situação, mesmo que a victima não queira...

Tony Madureira disse...

Olá Sissi,

Obrigado pela visita e comentário.
Aqui está uma prova do que falo. Eu sei que isso é constante. Quero deixar aqui uma palavra para a Sissi, fazes bem em denunciar.
Por isso, força, coragem!

Beijinho

Tony Madureira disse...

Agradeço ao blog dos “assediados” a sua visita constante e seus comentários.
O assédio moral a um é um doente apressa a sua demissão.
É doente? Doente com Lúpus por exemplo. Todos (as) Sabem melhor que ninguém o cansaço e fadiga que esta doença provoca. Escolhido o alvo, basta seguir a cartilha, o método é (quase) sempre o mesmo…

Abraço

Tony Madureira disse...

Pois é Mary,

O que fizeste é louvável e (infelizmente) não acontece muitas vezes.
Existem vários tipos de assédio. Destacaria três probabilidades:
O assédio por parte do chefe; o assédio por parte do colega; e o assédio por parte de ambos.
Por isso, se alguém é testemunha de cenas de humilhação no trabalho, que supere o medo, que seja solidário com seus colegas. Porque amanhã a “próxima vitima” podes se tu. O apoio aos colegas nesta situação é precioso.
E nunca se esqueçam que o medo reforça o poder do agressor!

Tony Madureira disse...

Para ver:
http://www.youtube.com/watch?v=eirIzwP4PKg&feature=g-all