sábado, 4 de julho de 2009

Nefropatia Lúpica #5

Tratamentos e Prognósticos

"O prognóstico da nefrite lúpica é analisado com mais uma variável do que o prognóstico global: a perda do rim, sem perda de vida. A sua evolução clínica tem melhorado com a melhor utilização das drogas imunossupressoras. Actualmente, na maioria dos doentes, há uma boa resposta inicial, a que se segue uma fase de quiescência da qual podem surgir surtos de agravamento. Outras vezes, os agravamentos aparecem com a redução das doses de imunossupressão abaixo de um determinado nível. Estes comportamentos diversos dependem mais da duração e da intensidade da imunossupressão do que da gravidade da doença.

O tratamento tem duas fases: a indução e a manutenção. A preocupação da primeira fase é o tratamento da doença severa que ameaça a vida; o objectivo da segunda é prevenir as recaídas com a precaução de controlar o aparecimento dos efeitos colaterais dos fármacos imunossupressores.

Todas as formas de nefrite lúpica em algum ponto da sua evolução são medicadas. Não se sabe se as formas mais ligeiras beneficiam destes fármacos, porque nunca foi feito o estudo comprovativo. As classes mais polémicas em relação a este ponto são a II e a V. Independentemente da corticoterapia, alguns resolveriam e outros evoluiriam para a insuficiência renal avançada espontaneamente. As formas mais graves (classes III e IV) são aquelas em que está provada a utilidade do tratamento.

O tratamento standard é a corticoterapia. O habitual é iniciar a indução com bolus de metilprednisolona endovenosa (500mg a 1g), seguindo-se prednisolona 60mg/kg oral. Posteriormente, após a resolução da crise aguda, inicia-se a redução lenta até ao nível em que não há sintomas. Há outras drogas imunossupressoras indicadas para o lúpus. A ciclofosfamida é a mais bem estudada. Os seus efeitos secundários principais são a leucopenia e o consequente risco de infecção. Por isso, há esquemas que permitem a redução da dose, minorando os seus efeitos secundários. Outras drogas que também estão estudadas são a azatioprina, o micofenolato de mofetil, a ciclosporina e o clorambucil, mas nenhuma delas ganhou definitivamente o seu lugar."

2 comentários:

Lifepassenger disse...

Verdade caso precise de mais bibliografia diga .

Maria disse...

Olá CLÁUDIA,obrigada pela sua visita e pelo seu carinho.
Creio que também tem ums filhas espectaculares embora mais novas que a minha, ter filhas é muito bom,a minha é a minha Estrêla principal,claro que já me ofereceu mais duas estrêlas, a primeira cor de rosa e a segunda azul..........
São elas que me dão força, para me levantar, cada vez que caí e não me apetece levantar...........
Ando um bocado cansada demais de tudo, mas como alguém disse ainda não devo ter executado tudo o que vim fazer cá por isso tenho que aguentar e tentar caminhar da melhor forma que conseguir.
MUITOS BEIJ. COM MUITO CARINHO PARATODOS VÓS, E BOM FIM DE SEMANA.
:) M.M.G.