sexta-feira, 15 de agosto de 2008

O relacionamento entre médico e paciente

"Uma das coisas mais importantes e decisivas para o sucesso de um tratamento, especialmente de uma doença crônica, é o relacionamento entre médico e paciente. Pacientes com lúpus normalmente enfrentam problemas singulares, o que influencia enormemente esse relacionamento. Esses pacientes podem precisar de cuidados por muitos anos e, uma vez que o lúpus pode afectar vários diferentes órgãos e sistemas do corpo, eles podem precisar de médicos de diferentes especialidades ao mesmo tempo. Poucos médicos entendem bem o lúpus, e já que ainda há muita coisa desconhecida sobre a doença, o paciente pode encontrar diferentes opiniões a respeito da melhor forma de tratá-lo. Para completar, uma vez que o lúpus tem efeitos físicos e psicológicos, os pacientes podem apresentar dificuldades em se relacionar com outras pessoas. Issa dificuldade pode interferir no seu relacionamento com o médico.

Médicos e pacientes interagem de uma maneira íntima e muito complexa. Com os grandes avanços tecnológicos da medicina nos últimos 40 anos, muitos aspectos desse relacionamento médico-pacientes foram alterados. A começar pela escolha do médico, onde normalmente leva-se em conta o plano de saúde que o paciente possui. Há ainda, a dificuldade do médico visitar pacientes fora dos hospitais e centros de tratamento e a substituição do Clínico Geral por um crescente número de especialistas. Contudo, a natureza básica do relacionamento médico-paciente não foi alterada.

Médicos e pacientes sempre têm abordado as questões de saúde de maneiras diferentes. Quando o paciente leva suas reclamações ao médico, ele espera que toda dor e sofrimento que está sentindo desapareça imediatamente. Eles também esperam que seus medos sejam dissipados, que sua doença seja curada, e que qualquer tratamento necessário seja o mais indolor e barato possível. Os médicos, por outro lado, esperam acima de tudo, que eles possam diagnosticar corretamente o problema do paciente e indicar o tratamento adequado. Os médicos também têm esperança de por um fim aos medos e ao sofrimento dos pacientes, mas eles sabem que, muitas vezes, isso não é completamente possível.

No caso do lúpus, o diagnóstico pode ser o maior problema para os médicos. A maioria deles não acompanha muitos casos da doença, o que faz com que tenham dificuldades para reconhecê-la. Nos casos mais antigos, mesmo os mais experientes reumatologistas por várias vezes não concordavam nos diagnósticos. Os médicos nunca querem classificar alguém como portador de uma doença muito grave, até que eles estejam certos disso. Nisso, eles pedem um grande número de exames antes de dar o diagnóstico o que, involuntariamente, só faz aumentar os aborrecimentos do paciente. Enquanto o médico está à busca do diagnóstico correcto, os pacientes, desconhecendo esse dilema do médico, podem achar que não estão recebendo a atenção merecida para as suas queixas e temores.

Médicos que cuidam de pacientes com lúpus devem ser muito cuidadosos para não interpretar a resposta emocional do paciente à doença como um reflexo dos seus sentimentos por eles. Pacientes com lúpus com freqüência são nervosos ou deprimidos. O médico não deve se sentir ofendido por tais emoções mas deve ajudar o paciente a entender de onde ela vêm. O médico deve se certificar de que esses sentimentos não estejam a ficar piores devido aos efeitos dos medicamentos ou da actividade da doença."

9 comentários:

LaPekeñaSerly disse...

muito obrigado

=)

Un beso desde Madrid!

elvira carvalho disse...

Em todas as doenças, é muito importante o relacionamento entre o doente e o médico.
E a Cláudia como vai? Melhor?
Um abraço e tudo de bom

Claudia Madureira disse...

Ola Elvira,

Tudo bem contigo?

Já me sinto muito melhor obrigada.
O pé e perna esquerda ainda incha um bocado. Fiz um ecodoppler e deu somente que tinha liquidos retidos.

Tudo bom para ti.

Um Beijinho.

elvira carvalho disse...

Ainda bem que está melhor. Que Deus a proteja e a ajude a recuperar totalmente, dessa crise.
Um abraço e um resto de boa semana

Eu e tu disse...

ola tony e claudia. eu sou acompanhada ja á dois anos por reumatologista, oftalmologista, dermatologista, ginecologista, tudo relacionado c a doença! tenho tido sorte c os medicos k tenho encontrado, embora esteja cada vez mais convencida k o nosso sistema de saude deixa mt mt a desejar!! as melhoras claudia, bjs p voçês

Bete Fonseca disse...

Estou me tratando com nefrologista eo mesmo diagnosticou que devo estar com Lúpus, pois minha doença está avançada com muitas dores nas articulações e danificando os meus 2 rins. Gostaria que me orientassem um especialista no caso no estado do Rio de Janeiro.
Grata

Tony Madureira disse...

Olá,
Não queres deixao o teu relato no post masi recente. assim será amsi visto, pode ser?
As melhoras.

Bjs

xaninhaazul disse...

...NAO ACREDITO NOS MEDICOS...

Tony Madureira disse...

Mas devias, eles é que são os técnicos saúde!!
Estão sempre prontos ajudar...