domingo, 21 de dezembro de 2008

Terapêutica Farmacológica #2

"Os anti-maláricos ( fármacos inicialmente usados contra a malária, como o Plaquinol “ ou a Resoquina”) são frequente e eficazmente usados no Lúpus (sistémico e discoide) mesmo nas fases de remissão, como estabilizadores dos sistema imune, como estimuladores da resistência à exposição solar e como “poupadores de corticóides” (diminuição das doses de corticóides necessárias para o controlo da doença), embora não se saiba exactamente qual o mecanismo de acção destes fármacos nesta doença.

Os efeitos secundários mais frequentes são náuseas, os vómitos e a diarreia. Podem ser utilizados durante largos períodos, mas o uso prolongado pode provocar problemas oftalmológicos. Na maioria dos casos estes são reversíveis com a suspensão precoce do tratamento, pelo que a sua situação deve ser acompanhada por uma observação (pelo menos) anual pelo oftalmologista, mesmo quando não existam queixas de diminuição da visão, visão turva ou pontos cegos…"

2 comentários:

Êidina Queiroz disse...

Oi Tony, como estao voces? Espero que a Claudia esteja bem. Obrigada pela visita em meu blog e agradeço pela gentiliza da preocupação comigo. Estou bem melhor da gripe, mas ainda sinto-me com fadiga. Voce sabe, tudo para nós, as pacientes, é mais dificil. Uma semana cheia de paz e alegrias. Beijinhos para voces.

Pico minha ilha disse...

Que neste Natal a paz e o amor viva cada vez mais em nosso coração.Beijinhos para todos