domingo, 25 de abril de 2010

Relato de Patrícia Ferrão

Patrícia faz o seu relato, tem 27 anos, e vive em Loures.

Chamo-me Patrícia, tenho 27 anos e sou de Loures. O Lúpus faz parte da minha vida desde 2006. Em Janeiro desse ano fui submetida a uma intervenção cirúrgica, na sequência de uma lesão ao joelho e a cicatrização não foi fácil, o estado inflamatório era uma constante. Mas tudo piorou quando iniciei a fisioterapia, era muito doloroso, provocava dores e mal estar constante tive mesmo que parar...simultaneamente tinha outros sintomas, principalmente dores nas mãos, de tal forma fortes e agudas que de manhã ao arranjar o meu filho, na altura com 2 anos e pouco, as lágrimas escorriam-me pelo rosto. Recorri ao meu médico de familia Dr. Paulo Estrela do Centro de Saúde de Loures, a quem agradeço toda a dedicação e interesse pela minha situação, e começaram os exames: análises, rx, ressonâncias e por aí fora. Analiticamente tinha algumas complicações, leucopenia, linfopenia, anemia, por aí fora ...começaram as especulações...chegaram mesmo a pensar que poderia ser SIDA...foi um período assustador!!!! Nesta altura o médico começou a desconfiar que poderia ser Artrite Reumatóide porque também os ANAŽS estavam positivos, e como na altura a equipe de reumatologia do Hospital de Santa Maria dava consultas quinzenais no Centro de Saúde, puxando uns cordelinhos aqui e outros ali, lá consegui uma marcação de urgência. Nessa primeira consulta com a Dra. Cristina Catita, excelente médica e acima de tudo excelente ser humano, como já levava muitos exames auxiliares de diagnóstico foi-me dito que poderia ser Lúpus ou uma doença inflamatória dos tecidos conjuntivos, fiquei em pânico, pouco tempo antes uma amiga, colega do secundário, tinha falecido pelas consequências do Lúpus e eu conhecia a sua história de perto...tive tanto medo... Os sintomas agudizaram-se lentamente, antes de se confirmar o Lúpus, tomava anti-inflamatórios para aliviar as dores mas já não era suficiente...até que certo dia do mês de Junho não me consegui levantar da cama, as dores no corpo, pescoço e na cabeça eram terriveis, tinha febre, e os primeiros sinais do sindrome de raynaud apareceram. Nesse dia a minha querida irmã Carla, a quem devo muita paciência e compreensão, pegou em mim e levou-me às urgências de Santa Maria. Dei entrada no Hospital de Santa Maria e as primeiras suspeitas foram meningite porque eu não consegui estar com a cabeça levantada, só depos de ser observada por os infecto-contagiosos chamaram a médico reumatologista de serviço. Nesse dia fiz análises, punção lombar, rx, ressonância, sei lá... Fiquei internada no serviço de Reumatologia e durante esse internamento o Lúpus tornou-se uma realidade...aquela era a primeira crise. A recuperação foi gradual e lenta, muito lenta. Desde então já tive mais uma crise aguda (Dezembro 2007) que me levou novamente àquele serviço, nesta última com derrame pleural. Neste momento estou medicada e a doença está activa mas estável, tomo Lepicortinol 10mg/dia (cheguei a tomar 40mg), Plaquinol 400mg/dia, Ledertrexato 15mg/semana, Omeprazol, Cálcio, Folicil, também durante este tratamento já fiz Imuran com o qual não me dei bem e mini-pulsos de cortisona. Felizmente, até à data não tenho envolvimento de nenhum orgão, apesar de no ano passado ter-se detectado proteínas na urina que acabaram por desaparecer... Desde 2006 engordei 12 kg e não consigo perdê-los... Desde 2006 o meu humor é totalmente flutuante.... Desde 2006 tenho um medo enorme de não ver o meu filho crescer... Desde 2006 aprendi que a vida é para aproveitar dia a dia... Desde 2006 sempre que posso agradeço à minha familia e aos meus amigos o apoio incondicional que me têm dado... Desde 2006 tenho consciência de mim e do meu corpo... Desde 2006 que tenho lúpus mas o lúpus não me tem a mim!

3 comentários:

Paula disse...

Olá Patrícia...
Como eu te compreendo, so queria te dizer que eu engordei 15 kilos num mês e após um ano estou a voltar o meu normal...por isso...temos que mais uma vez ter muita força.
Beij gd
Paula Nóbrega

Fernanda disse...

Olá Patricia...
Sei bem o k passaste n é nada fácil, é algo k nos irá acompanhar para sempre. Moro perto de ti sou de CasaL dE CAMBRA se kiseres conversar um pouco tás á vontade deixa o teu e mail um abraço até breve
FERNANDA CASTRO

kmariamelo disse...

Olá Patricia tb tenho lupus e descobrir que tenho um derrame pleural. Gostaria q me explicasse como foi o seu tratamento do derrame? Continua? Abraços e muita força p vc.